12/12/2019


FESTA DE NOSSA SENHORA DE GUADALUPE, PADROEIRA DA AMÉRICA LATINA

BRANCO | Ofício festivo próprio.
Missa pr: Glória, Prefácio de Nossa Senhora I ou II

REZE O OFÍCIO DA FESTA DE NOSSA SENHORA DE GUADALUPE

Aclamção ao Evangelho
Aleluia, aleluia, aleluia.

Maria, alegra-te, ó cheia de graça,
o Senhor é contigo;
és bendita entre todas as mulheres da terra.


EVANGELHO


"Bendita és tu entre as mulheres
e bendito é o fruto do teu ventre!"


Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 1,39-47
Naqueles dias,
Maria partiu para a região montanhosa,
dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia.
Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel.
Quando Isabel ouviu a saudação de Maria,
a criança pulou no seu ventre
e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.
Com um grande grito, exclamOu:
"Bendita és tu entre as mulheres
e bendito é o fruto do teu ventre!"
Como posso merecer
que a mãe do meu Senhor me venha visitar?
Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos,
a criança pulou de alegria no meu ventre.
Bem-aventurada aquela que acreditou,
porque será cumprido, o que o Senhor lhe prometeu".
Então Maria disse:
"A minha alma engrandece o Senhor,
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador".
Palavra da Salvação.

PRIMEIRA LEITURA

Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher.

Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas 4,4-7
Irmãos:
Quando se completou o tempo previsto,
Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher,
nascido sujeito à Lei,
a fim de resgatar os que eram sujeitos à Lei
e para que todos recebêssemos a filiação adotiva.
E porque sois filhos,
Deus enviou aos nossos corações o Espírito do seu
Filho, que clama: Abá - ó Pai!
Assim já não és mais escravo, mas filho;
e se és filho, és também herdeiro:
tudo isso, por graça de Deus.
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL

Salmo 95(96),1-2a.2b-3.10 (R. 3a)
Manifestai a sua glória entre as nações.


Cantai ao Senhor Deus um canto novo, +
cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! *
Cantai e bendizei seu santo nome!


Dia após dia anunciai sua salvação, +
manifestai a sua glória entre as nações, *
e entre os povos do universo seus prodígios!


Publicai entre as nações: "Reina o Senhor! +
Ele firmou o universo inabalável, *
e os povos ele julga com justiça.

Texto patrístico Do “Nicán Mopohua”, relato do escritor indígena do século dezesseis Dom Antônio Valeriano

(“Nicán Mopohua”, 12ª edición, Buena Prensa, México, D.F., 1971, p. 3-19.21) (Séc. XVI)

Num sábado de mil e quinhentos e trinta e um, perto do mês de dezembro, um índio de nome Juan Diego, mal raiava a madrugada, ia do seu povoado a Tlatelolco, para participar do culto divino e escutar os mandamentos de Deus. Já amanhecia, quando chegou ao cerrito chamado Tepeyac e escutou que do alto o chamavam:
– Juanito! Juan Dieguito!
Subiu até o cimo e viu uma senhora de sobre-humana grandeza, cujo vestido brilhava como o sol, e que, com voz muito branda e suave, lhe disse:
– Juanito, menor dos meus filhos, fica sabendo que sou Maria sempre Virgem, Mãe do verdadeiro Deus, por quem vivemos. Desejo muito que se erga aqui um templo para mim, onde mostrarei e prodigalizarei todo o meu amor, compaixão, auxílio e proteção a todos os moradores desta terra e também a outros devotos que me invoquem confiantes. Vai ao Bispo do México e manifesta-lhe o que tanto desejo. Vai e põe nisto todo o teu empenho.
Chegando Juan Diego à presença do Bispo Dom Frei Juan de Zumárraga, frade de São Francisco, este pareceu não lhe dar crédito e respondeu:
– Vem outro dia, e te ouvirei com mais calma.
Juan Diego voltou ao cimo do cerro, onde a Senhora do céu o esperava, e lhe disse:
– Senhora, menorzinha de minhas filhas, minha menina, expus tua mensagem ao Bispo, mas parece que não acreditou. Assim, rogo-te que encarregues alguém mais importante de levar tua mensagem com mais crédito, porque não passo de um joão-ninguém.
Ela respondeu-lhe:
– Menor dos meus filhos, rogo-te encarecidamente que tornes a procurar o Bispo amanhã dizendo-lhe que eu própria, Maria sempre Virgem, Mãe de Deus, é que te envio.
Porém no dia seguinte, domingo, o Bispo de novo não lhe deu crédito e disse ser indispensável algum sinal para poder-se acreditar que era Nossa Senhora mesma que o enviara. E o despediu sem mais aquela.
Segunda-feira, Juan Diego não voltou. Seu tio Juan Bernardino adoecera gravemente e à noite pediu-lhe que fosse a Tlatelolco de madrugada, para chamar um sacerdote que o ouvisse em confissão.
Juan Diego saiu na terça-feira, contornando o cerro e passando pelo outro lado, em direção ao Oriente, para chegar logo à Cidade do México, a fim de que Nossa Senhora não o detivesse. Porém ela veio a seu encontro e lhe disse:
– Ouve e entende bem uma coisa, tu que és o menorzinho dos meus filhos: o que agora te assusta e aflige não é nada. Não se perturbe o teu coração nem te inquiete coisa alguma. Não estou aqui, eu, tua mãe? Não estás sob a minha sombra? Não estás porventura sob a minha proteção? Não te aflija a doença do teu tio. Fica sabendo que ele já sarou. Sobe agora, meu filho, ao cimo do cerro, onde acharás um punhado de flores que deves colher e trazer-mo.
Quando Juan Diego chegou ao cimo, ficou assombrado com a quantidade de belas rosas de Castela que ali haviam brotado em pleno inverno; envolvendo-as em sua manta, levou-as para Nossa Senhora. Ela lhe disse:
– Meu filho, eis a prova, o sinal que apresentarás ao Bispo, para que nele veja a minha vontade. Tu és o meu embaixador, digno de toda a confiança.
Juan Diego pôs-se a caminho, agora contente e confiante em sair-se bem de sua missão. Ao chegar à presença do Bispo, lhe disse:
– Senhor, fiz o que me ordenaste. Nossa Senhora consentiu em atender o teu pedido. Despachou-me ao cimo do cerro, para colher ali várias rosas de Castela, trazê-las a ti, entregando-as pessoalmente. Assim o faço, para que reconheças o sinal que pediste e assim cumpras a sua vontade. Ei-las aqui: recebe-as.
Desdobrou em seguida a sua branca manta. À medida em que as várias rosas de Castela espalhavam-se pelo chão desenhava-se no pano e aparecia de repente a preciosa imagem de Maria sempre Virgem, Mãe de Deus, como até hoje se conserva no seu templo de Tepeyac.
A cidade inteira, em tumulto, vinha ver e admirar a sua santa imagem e dirigir-lhe suas preces. Obedecendo à ordem que a própria Nossa Senhora dera ao tio Juan Bernardino, quando devolveu-lhe a saúde, ficou sendo chamada como ela queria: “Santa Maria sempre Virgem de Guadalupe”.

TEXTOS EUCOLÓGICOS DA FESTA DE NOSSA SENHORA DE GUADALUPE

Antífona de entrada
Alegremo-nos todos no Senhor,
celebrando a festa de Nossa Senhora de Guadalupe;
conosco alegram-se os Anjos
e glorificam o Filho de Deus.

 

Oração do Dia
Ó Deus, que nos destes a Santa Virgem Maria
para amparar-nos como mãe solícita,
concedei aos povos da América Latina,
que hoje se alegram com sua proteção,
crescer constantemente na fé
e alcançar o desejado progresso
no caminho da justiça e da paz.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
na unidade do Espírito Santo.

 

Sobre as oferendas
Ó Deus, o mesmo Espírito Santo,
que trouxe a vida ao seio de Maria,
santifique estas oferendas
colocadas sobre o vosso altar.
Por Cristo, nosso Senhor.

 

Prefácio de Nossa Senhora I
A MATERNIDADE DA VIRGEM MARIA

Na verdade, é justo e necessário,
é nosso dever e salvação
dar-vos graças, sempre e em todo lugar,
Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso,
e, na festa de Nossa Senhora de Guadalupe, de Maria, sempre Virgem,
celebrar os vossos louvores.

À sombra do Espírito Santo,
ela concebeu o vosso Filho único
e, permanecendo virgem,
deu ao mundo a luz eterna,
Jesus Cristo, Senhor nosso.

Por ele, os anjos cantam vossa grandeza,
os santos proclamam vossa glória.
Concedei-nos também a nós
associar-nos a seus louvores,
cantando (dizendo) a uma só voz:

Santo, Santo, Santo...

 

Antífona da comunhão
A Virgem conceberá
e dará à luz um filho:
e ele será chamado "Deus Conosco".

 

Depois da Comunhão
Senhor nosso Deus, 
a comunhão nos vossos mistérios
manifeste em nós a vossa misericórdia
e nos salve pela Encarnação de vosso Filho,
cuja Mãe agora festejamos,
cheios de fé e devoção.
Por Cristo, nosso Senhor. 




SANTO(a) DO DIA
12-12 | FESTA DE NOSSA SENHORA DE GUADALUPE, PADROEIRA DA AMÉRICA LATINA
12-12 | FESTA DE NOSSA SENHORA DE GUADALUPE, PADROEIRA DA AMÉRICA LATINA

Saiba mais.




TESTEMUNHA DA HUMANIDADE

Pedidos de Oração