Setembro é considerado o mês da Bíblia, oportunidade para vivenciar e anunciar a Palavra de Deuse de maior aprofundamento bíblico. Dia 30 recordamos a vida e o testemunhode São Jerônimo, que fez a tradução da Bíblia (escrita originalmente em hebraico, alguns trechos em aramaico, e grego) para o latim.

            Ao longo do Ano Litúrgico, a Palavra de Deus alimenta a nossa caminhada de fé e o compromisso a serviço da “vida em abundância para todos” (Jo 10,10). Durante o mês de Setembro a parte da Bíblia para o estudo é a Primeira Carta de João, escrita na cidade de Éfeso (atual Turquia) no final do século I. “Nós amamos porque Deus nos amou primeiro” (1Jo 4,19) é o lema para guiar os encontros, reflexões, orações a partir da Palavra de Deus.    

            A comunidade da Primeira Carta de João enfrenta conflitos, provocados pelos “anticristos” ou “falsos profetas” (1Jo 2,18-19; 4,1) que negam a realidade da encarnação. Eles tentam dissociar Jesus de Nazaré do Cristo da fé e separam a fé cristã da vida prática. “Quem diz que conhece a Deus, mas não guarda seus mandamentos é mentiroso e nele não está a verdade” (1Jo 2,4). “Quem diz estar na luz, mas odeia seu irmão, está nas trevas até agora” (1Jo 2,9).

            A afirmação fundamental da Primeira Carta de João é a fé em Jesus Cristo, o Filho de Deus, que “veio na carne” (1Jo 4,2), assumiu a condição humana e morreu na cruz. “Vítima de expiação pelos pecados” (1Jo 2,2; cf. Is 53,10), Jesus é o Servo de Deus que “ama até o fim” (Jo 13,1) e entrega a vida pela salvação da humanidade. Jesus “purifica de todo o pecado” (1Jo 1,7), fruto de injustiça.

            A unção que vem do Espírito Santo (batismo – crisma) leva a discernir o que vem de Deus, conhecer sua Palavra, sua verdade e vida (1Jo 2,20.27). A fé é testemunhada na vivência do amor fraterno. “Que creiamos no nome do Filho de Deus, Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros conforme o mandamento que ele nos deu” (1Jo 3,23; cf. Jo 13,34). “O Espírito que ele nos deu” (1Jo 3,24) recorda os ensinamentos do Messias encarnado e conduz os cristãos nos caminhos da verdade e da vida (cf. Jo 15,26).

            “Deus é Amor” (1Jo 4,8.16), manifestado de forma concreta: “Deus enviou o seu Filho único ao mundo para que vivamos por ele” (1Jo 4,9). A adesão a Jesus proporciona permanecer em Deus e no amor que liberta do medo e vence o mundo, as realidades de injustiça. “Quem acredita no nome do Filho de Deus tem a vida eterna” (1Jo 5,13), a vida plena que Deus quer para todos os seus filhos e filhas.

   Elaborado por Irmã Helena Ghiggi, pddm

Deixe uma resposta