TEMA: FRATERNIDADE
E POLÍTICAS PÚBLICAS

LEMA: “SERÁS LIBERTADO
PELO DIREITO E PELA JUSTIÇA.” (Isaías 1,29)

 

 

Todos os anos, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresenta a Campanha da Fraternidade como caminho de conversão quaresmal.

Revestidos pelo Batismo e pela Crisma, Deus nos constituiu como mediadores do Reino da verdade, da graça, da justiça, do amor e da paz. Deus age no mundo transformando-o através do nosso testemunho, do nosso agir, do nosso fazer, mas não sozinhos. Uma andorinha não faz verão. Buscamos uma santidade coletiva. Somos Igreja!

A Quaresma lembra os quarenta dias que Jesus ficou no deserto em jejum e oração se preparando para a sua Paixão, Morte e Ressurreição. Iniciamos a Quaresma com a Quarta-feira de Cinzas, nessa Celebração se dá também a Abertura da Campanha da Fraternidade.

Que o Jejum, a Esmola e a Oração nos coloquem na dinâmica do seguimento de Jesus. O jejum para despertar em nós a fome de Deus e a disponibilidade para saciar a fome dos irmãos. Pela esmola, a partilha, a misericórdia, o cuidado e entrega aos outros. Pela oração, pela escuta, pela meditação nos despertamos para sermos mais de Deus.

Aquele que ama a Deus, ame também o seu irmão. Por isso a Campanha da Fraternidade, mais uma vez neste ano nos leva a olhar a realidade em que vivemos, através do método: VER, JULGAR E AGIR.

Neste ano nos dedicaremos ao serviço amoroso aos irmãos e irmãs através das Políticas Públicas, que é diferente de fazer política.

Políticas Públicas podem ser relacionadas à educação, à saúde, aos direitos humanos, à assistência social, à economia, à zona rural, às mulheres e tantos outros temas, que são as ações do Estado na solicitude para com os mais necessitados.

A Campanha da Fraternidade deste ano convoca de um modo especial os cristãos para serem agentes de transformação da sociedade e sementes do Reino nos Conselhos Paritários de Direitos.

Uma maneira concreta de se viver o que pede a Campanha deste ano é participar dos Conselhos municipais, estaduais e federais, participação dos nossos agentes de pastorais nesses espaços. Procurar saber quais são os Conselhos locais que estão ativos na cidade e quem são as pessoas da nossa Paróquia que fazem parte destes Conselhos Paritários de Direitos.

Se fizermos somente isto já está de bom tamanho a nossa participação ativa na Campanha da Fraternidade deste ano. Fazer bem o pouco que se faz e fazer bem. Basta!

Boa Quaresma, uma santa e feliz Páscoa da Ressurreição de Jesus. Paz!

Pe. José Antonio DalBó Giovannetti, CSsR
Pastoral no Santuário de Nossa Senhora Aparecida,
e superior da Casa Provincial em São Paulo.

Deixe uma resposta