Este vídeo foi trabalho de conclusão dos encontros sobre o Carisma da Família Paulina dado para o Postulantado das Irmãs Pias Discípulas do Divino Mestre, no ano de 2019.

As jovens Amira e Belimar prepararam este vídeo para apresentar nossa Madre Escolástica e as outras duas postulantes, Odete e Virgínia, fizeram um folder muito bonito sobre a vida desta grande mulher. Partilhamos com todos esta riqueza espiritual, neste dia tão especial que a congregação das Irmãs Pias Discípulas do Divino Mestre celebram seus 96 anos de fundação (10/02/2020). Nossa gratidão profunda ao Pe. Tiago Alberione, que inspirado pelo Espírito Santo, deu-nos este carisma tão belo.

Esta gratidão também à docilidade de Madre Escolástica que acolhe este chamado de iniciar esta nova família religiosa, no dia 10 de fevereiro de 1924. Tudo é dom, é graça do Senhor e revela o seu amor por nós.

Quem é Madre Escolástica Rivata?

Úrsula (Madre Escolástica Rivata) nasceu em Guarene Itália, no dia 12 de julho de 1897. É a primeira entre quatro filhos do casal Antonio Rivata e Lúcia Alessandria. Úrsula teve duas irmãs e um irmão, que viveu apenas dez meses após a morte da mãe, a qual faleceu quando Úrsula tinha somente seis anos de idade.

O pai casou-se novamente e educou suas filhas em ambiente familiar de valores humanos e cristãos. A pequena Úrsula se destacava na escola e entre as colegas, por sua sensibilidade, inteligência e capacidade de iniciativa. Aos sete anos foi admitida à primeira comunhão e recebeu o sacramento da confirmação em 1909.

Fortalecida no empenho cristão, participa do coral da paróquia e experimenta, na sua adolescência e juventude, vários tipos de trabalho, desde a lavoura à fábrica de seda. Isso a colocou em contato com diversas realidades sociais e contribuiu para o seu crescimento. O pai, Antonio, se orgulha de suas três belas filhas, e como bom e vigilante patriarca, dirige-se um dia a Úrsula para lhe dizer que um rapaz a pediu em casamento, acrescentando: É um bom jovem e tem também algumas posses; com ele você poderá ter uma vida feliz. Quarenta anos mais tarde, narrando este episódio, Úrsula escreve: “…depois da Missa, vindo para casa, diante de uma bela estátua do Sagrado Coração… eu lhe disse: Senhor, só Tu e basta. Desci a escada e fui ter com papai e dizer-lhe: não, não aceito a mão dele. Com a expressão Senhor, só tu e basta, a jovem Úrsula diz o seu “sim” Àquele que por primeiro a escolheu e que, a partir daquele momento lhe pedirá para ser “o Único” da sua vida, “na alegria e na dor, na saúde e na doença, na pátria e no exílio…”

Embora seja de maior, a sua decisão provoca certo contraste na família, acolhido por ela como uma prova que a reforça ainda mais na decisão. Úrsula continua a sua formação lendo muito. A paixão pela leitura, na busca de bons livros, leva-a ao encontro de um grande apóstolo dos tempos modernos: padre Tiago Alberione o qual, sem rodeios, enquanto procura o livro pedido por ela, e depois num breve diálogo, lhe diz: “Quando você vem para a casa São Paulo?”

A partir disso tendo já vinte e quatro anos, sente-se impulsionada a romper com as demoras e a oposição da família. Acompanhada pelo pai, no dia 29 de julho de 1922, Úrsula entrou na aventura que a conduziu nos insondáveis caminhos do Senhor.

No vivaz contexto das primeiras fundações paulinas, no dia 21 de novembro de 1923, padre Alberione diz: “Separai para mim Úrsula e Matilde, para a obra à qual as destinei”.

Assim começou a escolha de Úrsula para iniciar a nova fundação juntamente com outras seis jovens que a própria Úrsula ajudará escolher dentre as jovens do grupo feminino já existente.

O dia 10 de fevereiro de 1924, memória de Santa Escolástica, foi escolhido pelo padre Alberione para o início da nova fundação. No dia 25 de março do mesmo ano, festa da Anunciação, este grupo de oito jovens, faz sua manifestação oficial com o hábito religioso e a profissão dos votos. Recebem um nome novo e Úrsula torna-se Irmã Escolástica da Divina Providência.

No mesmo dia inicia aquele que será o seu trabalho principal: a Adoração Eucarística e o viver como irmã e mãe ao lado dos Sacerdotes e Discípulos da Sociedade São Paulo. Desde estes inícios, Madre Escolástica Rivata passa a ser a colaboradora em Cristo com Padre Alberione, para a realização do carisma das Pias Discípulas do Divino Mestre.

Com vinte e oito anos é a responsável pela nova família que surge e, a partir deste momento, pode-se ler a história de Escolástica somente seguindo passo a passo o caminho das Pias Discípulas. Ela foi a primeira sobre a qual o bem-aventurado Tiago Alberione havia posto o olhar para dar vida à nova fundação e é a última do primeiro núcleo das oito a concluir, podemos assim dizer, o arco fundacional.

No dia 24 de março de 1987, Madre Escolástica conclui seu peregrinar terreno. Dia 13 de março de 1993, em Alba, inicia-se o processo diocesano para a beatificação e canonização de Madre Escolástica Rivata.

Ela foi proclamada Venerável pelo papa Francisco no dia 9 de dezembro de 2013 e agora continua o processo para o próximo passo, a beatificação.

Mais informações e contato, acesse nosso site: https://piasdiscipulas.org.br/quem-somos/veneravel-me-escolastica/

Deixe uma resposta