Segundo a nossa tradição, nós, Pias Discípulas, celebramos o Dia das Noviças no 2º Domingo da Páscoa, anteriormente chamado domingo “in Albis” (= branco).

Por que Domingo in Albis? Nas primeiras comunidades cristãs, os catecúmenos, isto é, os que iriam receber os sacramentos de iniciação, eram acolhidos pela comunidade no Primeiro Domingo da Quaresma. Começava então a catequese para o Batismo, durante a qual eram apresentados os principais pontos da fé cristã e celebrada a inserção do catecúmeno na comunidade, culminando com a celebração dos sacramentos da iniciação na Vigília Pascal. Eles recebiam a veste branca na celebração e permaneciam com ela durante a semana após a Páscoa, tempo da chamada catequese mistagógica, quando os neófitos – como eram chamados os que tinham recebido o Batismo – aprofundavam o sentido dos sacramentos pascais e entravam em relação fraterna com a Igreja.

No Domingo “in Albis” deixavam a veste branca recebida na vigília pascal, sinal de que a celebração terminava e entravam na vida do Mistério celebrado (Cf. Dia do Senhor – Ciclo Pascal ABC, 2002).

Como se expressa Santo Agostinho na sua homilia para o 2º Domingo da Páscoa:

“É com palavras do Apóstolo que vos falo: Revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e não deis atenção à carne para satisfazer as suas paixões (Rm 13,14), a fim de que, também na vida, vos revistais daquele que revestistes no sacramento. Todos vós que fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo. O que vale não é mais ser judeu nem grego, nem escravo nem livre, nem homem nem mulher, pois todos vós sois um só, em Jesus Cristo (Gl 3,27-28).

Agora caminhais pela fé, vivendo neste corpo mortal como peregrinos longe do Senhor. Mas o vosso caminho seguro é aquele mesmo para quem vos dirigis, Jesus Cristo, que se fez homem por amor de nós. Para os seus fiéis ele preparou um grande tesouro de felicidade, que há de revelar e dar abundantemente a todos os que nele esperam, quando recebermos na realidade aquilo que recebemos agora só na esperança.

Hoje é o oitavo dia do vosso nascimento. Hoje completa-se em vós o sinal da fé que, entre os antigos patriarcas, consistia na circuncisão do corpo no oitavo dia depois do nascimento segundo a carne. Por isso, o próprio Senhor, despojando-se por sua ressurreição da mortalidade da carne e revestindo-se de um corpo não diferente mas imortal, ao ressuscitar consagrou o “dia do Senhor”, que é o terceiro dia depois de sua paixão, mas na contagem semanal dos dias, é o oitavo a partir do sábado, e coincide com o primeiro dia da semana.”.

Quem iniciou esta tradição foi dom Timóteo Giaccardo, quando ocupava da formação das noviças Pias Discípulas do Divino Mestre.

Rezamos por todas as noviças Pias Discípulas no mundo que celebram este dia, na alegria do Ressuscitado.

Antífona de entrada: “Como recém-nascidos, desejem o puro leite espiritual para crescerem na Salvação, Aleluia!” (1ºPd 2,2). Isto é, renascidos em Cristo, desejem o alimento da vida nova recebida e assumida (paralelo com as noviças que estão no início do caminho de seguimento a Jesus, no estilo de vida das Discípulas do Divino Mestre).

Noviças Pias Discípulas no Mundo:

As noviças Pias Discípulas que fazem o Noviciado no Brasil estão no período do Estágio. Elas estão em diversas comunidades, convivendo com as Irmãs, no modo de vida local, inserida nos diversos apostolados da casa. A pandemia dificultou a viagem de duas noviças: Virgínia e Odette, que são, respectivamente, da Província do México e Delegação USA/Irlanda. Por isto, elas estão realizando o período apostólico no Brasil, nas comunidades de Brasília e Rio de Janeiro. A noviça Amira está na sua pátria, Argentina. Rezemos pelo caminho vocacional de cada uma.

Na foto, as noviças que estão na comunidade do Noviciado 2021 no Brasil:
Virginia (Província do México), Amira (Argentina) e Odette (Delegação EUA/Irlanda).

Deixe uma resposta