O mundo mudou nos últimos meses. Todos os sistemas foram quebrados e tivemos que mudar muitos hábitos e costumes, por causa de um inimigo invisível de nos deixar doentes e poder matar. Passamos por uma crise sanitária, política, econômica e social. Porém a história nos ensina que sempre conseguimos superar todas as dificuldades enfrentadas até os dias de hoje. Por isso que estamos aqui. Isso se dá por causa da nossa capacidade de solidariedade. Não é o pior momento da humanidade, mas é um tempo de sofrimento físico e psíquico. Porém olhando para o passado, a vida de tantos que atravessaram momentos cruéis, descobrimos que Deus vai nos ajudando a preservar a vida e continuar nossa história. Vamos mantendo nossos sonhos.

Todo jovem sonha antes dos 18 anos em tirar sua CNH e poder dirigir um carro. A invenção do carro é fruto de um longo processo da humanidade que busca sempre novas formas de se locomover sem as próprias pernas. Também o carro não se tornou só um objeto de locomoção, mas também virou uma “paixão” mundial. Em novembro de 2017, o Papa Francisco ganhou de presente um Lamborghini Huracán. O carro foi leiloado e os recursos se destinaram a projetos de ajuda no Iraque e na África.

O padroeiro dos motoristas e viajantes é São Cristóvão. Pouco se sabe a respeito de sua vida. Dizem na lenda grega que São Cristóvão era um bárbaro antropófago (Aquele que se alimenta de carne humana) da linhagem Cananeia e servia um rei poderoso, considerado o maior da terra, deixou-o, quando soube que Satanás era maior e mais poderoso. Quando ouviu algo sobre Jesus, muitíssimo superior a Satanás, Cristóvão foi atrás de informações. Buscou elucidações com um ermitão e descobriu que Jesus era o reverso do demônio, apreciando os homens pela bondade para com o próximo, não pelo poder e grandeza. Era conhecido como Réprobo (malvado) e media 7 metros de altura, segundo relados da Idade Média.

Então, movido pelo encanto sobre Jesus, Cristóvão foi morar a beira de um rio caudaloso com a intenção de fazer o bem às pessoas e se propôs atravessar de uma margem a outra aquelas pessoas que necessitavam de ajuda, fazendo uso da sua imensa força.

Em uma determinada noite um menino pediu ajuda e Cristóvão pegou o menino e começou a travessia da corrente. Na medida em que caminhava sentiu um enorme peso do menino. Seu peso era assustador. Ficou se perguntando: “O que significava aquilo?” Parecia que estava carregando o peso do mundo nas costas. Cansado, bufando, arrimado no bordão que arcava ao estranho peso. Lutou contra a fadiga e depois de muita luta e muito cansado conseguiu chegar até a outra margem do rio. A caminhada de travessia era longa.

Cristóvão depois da travessia, muito cansado e limpando o suor, exclamou ao menino: “O mundo não é mais pesado do que tu!” O menino o olhou com ternura, sorridente e disse: “Não se espante, você não somente teve o mundo sobre si como carregou em seus ombros aquele que criou o mundo. Eu sou Cristo, seu Rei, cuja obra você tem servido.” Tempos depois, movido pela fé, o gigante iria dar a vida, enfrentando crueldade e torturas por causa da sua fé.

Logo depois Cristóvão passou a ser invocado pelos viajantes. Os viajantes começaram a pedir a sua intercessão para o sucesso de suas viagens.

O martirológico nos diz: “Na Lícia, São Cristóvão, mártir, que, sob o imperador Décio, tendo sido ferido com varas de ferro e preservado da violência do fogo pelo poder de Jesus Cristo, foi, afinal, atravessado de flechas e recebeu o martírio, pela decapitação (III Século?)” (Vida dos Santos, Padre Rohrbacher, Volume XIII, p. 341 á 343).

Sua data é comemorada dia 25 de julho, dia em que se comemora o dia do motorista.

A oração de São Cristóvão é a seguinte:

 “Ó São Cristóvão, que atravessastes a correnteza furiosa de um rio com toda a firmeza e segurança, porque carregáveis nos ombros o Menino Jesus, fazei que Deus se sinta sempre bem em meu coração, porque então eu terei sempre firmeza e segurança no guidão do meu carro e enfrentarei corajosamente todas as correntes que eu encontrar, venham elas dos homens ou do espírito infernal. São Cristóvão, rogai por nós. Amém.”

Oração do motorista a São Cristóvão:

São Cristóvão, que levastes um dia o fardo preciosíssimo, o Menino Jesus e, por isso, és invocado como Patrono Celestial. Abençoa a mim e a meu carro!

Dirige minhas mãos, meus pés, meus olhos. Guarda os freios, protege-me nas curvas fechadas e no asfalto molhado. Guarda-me das colisões e de pneus estourados. Livra-me das derrapagens. Segura animais soltos, pedestres distraídos e imprudentes.

Dá-me cortesia para os outros motoristas e, sobretudo, para com os guardas de trânsito.

Que eu seja cauteloso nas ruas movimentadas, atento nos cruzamentos e nunca alcoolizado, para que eu um dia possa ir segura (o) e diretamente, não antes do prazo, para a garagem do céu.

Amém.

Pe. Walteír Gonçalves Magalhães, C.Ss.R é missionário Redentorista e pároco da Paróquia São José Operário em Paraíso do Tocantins – TO. Ordenado em 1998 em Goiânia. Já morou e trabalhou no Santuário do Divino Pai Eterno em Trindade e na Basílica de Nossa Senhora Aparecida em Aparecida – SP. Também morou e trabalhou na Casa Geral dos Missionários Redentoristas em Roma e prestou serviço na União dos Superiores Gerais no Vaticano. Formado em Filosofia, Teologia e Administração de Empresa.

Deixe uma resposta