Profissão Perpétua de Ir. M. Natali Santos Bertoso

À alegria deste 33º Domingo do Tempo Comum, juntamos a ação de graças pelos votos definitivos de nossa querida irmã M. Natali. O lema da Profissão Perpétua de Ir. M. Natali é: “Tua Palavra é lâmpada para os meus pés e luz para o meu caminho” Sl 119,105.

A celebração foi presidida pelo Pe. Joaquim de Souza Filho, padre da Diocese de Jundiaí. Recebeu os votos a Ir. Marilez Furlanetto, superiora provincial e, na celebração estavam presentes as Irmãs Pias Discípulas das comunidades de São Paulo, além de algumas pessoas da paróquia local, Jesus de Nazaré, que auxiliaram no canto e na gravação da celebração. A Missa foi transmitida ao vivo pelo canal do Youtube da Congregação no Brasil.

Ir. M. Natali entrou na comunidade de Olinda em fevereiro de 2008 e, em 10 fevereiro de 2013, depois de cinco anos de formação em Cabreúva e Caxias do Sul, fez seus primeiros votos. Nos anos seguintes, depois dos primeiros votos partilhou da nossa vida e missão nas comunidades de Taguatinga, Olinda, Rio de Janeiro e São Paulo. Em 2020, foi à Roma se preparar para renovar o seu sim e ser confirmada por Deus definitivamente entre as Pias Discípulas.

Link da gravação da Celebração dos Votos Perpétuos de Ir. M. Natali Santos Bertoso

Após a Celebração, a comunidade Jardim Divino Mestre ofereceu um jantar a todos os presentes.

Esta celebração preparada com todo carinho, marcou a sua caminhada com seu sim generoso e feito, agora, para toda a vida. Que a alegria da Ir. M. Natali anime todas nós, suas irmãs, e seja de alegria também para a sua família.

Testemunho de Débora Brito, Amiga do Divino Mestre de Brasília

[…] “podem entrar todos aqueles que se empenham de fazer pela boa imprensa ou especiais orações, ou ofertas, ou trabalhar, escrever…” […] “Vós sereis seus zeladores junto a todos aqueles que puderdes. Dentro de trinta anos compreendereis a importância de quanto eu disse nessa noite. Dentro de trinta anos”. (Diário de Giaccardo, 30 de setembro de 1918, pp 46-47).

Assim começa a minha missão como Cooperadora Paulina, Amiga do Divino Mestre, antes mesmo que eu entendesse esse chamado. Desde pequena sempre fui uma pessoa muito falante e comunicativa. Cresci em uma família muito grande, com dois irmãos e meus pais, vivíamos com avós, tios e primos em um mesmo ambiente. Participei da catequese desde muito nova e, aos 13 anos, comecei a auxiliar os catequistas em minha comunidade. Aos 15 anos oficialmente após a crisma, me tornei catequista. Entrei também para o ministério de música e grupo de jovens, na Igreja praticamente o dia todo, como dizem por aí.

Nessa mesma época, meus pais se casaram no religioso iniciando a conversão de toda nossa família. Iniciei meu namoro também nesse período e passamos 11 lindos anos de relacionamento, entre namoro e noivado. Organizando casa, preparando a vida para constituir a tão sonhada família. Mas os planos de Deus foram outros. Em meados de 2009, aquela notícia que ninguém quer receber: seu grande amor, companheiro de vida foi diagnosticado com câncer. Um susto e ao mesmo tempo aquela esperança de que tudo se resolveria.

De repente, mais uma notícia: um primo muito querido falece, de câncer no auge da juventude. Tempo depois, um tio que há muito tempo não se via, falece por suicídio, e outro por uma doença adquirida por uma bactéria transmitida por pombos. As perdas só iam aumentando, duas senhoras amigas queridas também falecem de câncer. Parecia que essa era a palavra do dia, algo comum, a dor era inevitável, mas as lágrimas secaram e só vivia conforme a vida ia seguindo. No meio desse turbilhão idas e vindas no hospital para acompanhar meu noivo nesse processo todo, e revezamento com uma faculdade de administração na qual nem mesmo sei como passei e concluí a graduação, porque até mesmo meus trabalhos eram amigas maravilhosas que me ajudavam.

Em 2011, meu noivo faleceu e com ele toda uma vida de sonhos e idealizações. Ali, fui ao fundo do poço literalmente quando baixaram o caixão. Me fechei para tudo, para o mundo, mas o sorriso estampado no rosto para não permitir que ninguém sofresse comigo, por achar que aquela dor era só minha, me deu forças para seguir de alguma maneira. Um assalto em nossa residência, nos fez trocar de casa e apaguei da memória todo resquício que havia deixado de uma vida e fui atrás de outros caminhos.

Recomecei em novo trabalho, nova Igreja, novos amigos. Mas no meio da caminhada que parecia estar tudo normal, adoeci. E me vi em uma mesa de cirurgia. Vivia tendo crises e crises hemorrágicas devido a uma endometriose, na qual vivia em hospitais tomando remédios e a tristeza por trás daquele sorriso começou a transparecer mais forte. O médico disse que teria que fazer uma nova cirurgia, mais complexa porque meu intestino havia aderido ao útero e não poderia ser feita de forma simples.

Então, mais uma vez no turbilhão, nasceu minha primeira sobrinha, e a luz voltou. Naquele ser tão pequeno que eu só pude conhecer uma semana depois porque eu estava me recuperando, me deu novo sopro de vida e um amor tão grande que nem percebi, quando estava indo para a segunda cirurgia. Conversei com Deus e pedi uma luz para mudar a minha vida e pedi a cura para cuidar da minha pequena.

Uma amiga linda cuidou de mim e me indicou excelentes médicos, e fui parar no melhor médico de Brasília e especialista da área. Na mesma semana essa amiga também faleceu. Perdi também meus avôs nesse meio tempo e a morte passou a ser rotineira na minha vida. Dessa vez, eu tinha por quem lutar e fui pedindo a Deus forças. Entrei e saí de grupo de Igreja. Me revoltei, me afastei, mas Ele sempre nos busca aonde for. A catequese era minha base e foi o único grupo que não saí até hoje. E em uma formação, conheci a irmã Graça, Discípula do Divino Mestre, que fez o convite para ir em uma missa de envio aos 100 anos dos Cooperadores.

Operei, melhorei e fé em Deus fui curada, não da doença porque essa é crônica, mas para Deus nada é impossível. Nasceu meu segundo sobrinho e a tristeza que havia no sorriso foi dissipando ainda mais. A frase do início do texto, bateu forte no coração, desde o primeiro encontro dos Amigos, no qual levei minha mãe também. E em São Paulo, no encontro dos Cooperadores, desabrochou após uma entrevista ao Bem-vindo, Romeiro. A energia ali foi tão forte e aos pés de Nossa Senhora Aparecida naquela Missa, minha vida mudou. A comunicação veio forte e o chamado só foi aumentando.

Então me vi na comunicação nacional dos Amigos. Me vi em uma faculdade de jornalismo e hoje pós-graduada em Marketing Digital. Produtora e repórter voluntária em uma rádio católica em Brasília, no projeto de eventos Católicos e muitos outros projetos na área da comunicação, assumindo a gestão das redes sociais de algumas empresas privadas, além de um estágio no Ministério da Justiça em Brasília.

Tenho certeza de que Alberione intercede por mim e me leva cada vez mais para a comunicação católica. A fazer a boa imprensa e levar o Evangelho aonde for, pois esse tornou-se o lema do meu chamado: “Despertai o mundo com a Luz do Evangelho”. Agora falta apenas emitir as promessas no momento certo e ir cada vez mais anunciar a boa-nova e mostrar Jesus Divino Mestre, como Paulo fez.

Agradeço aos amigos e as irmãs queridas que me acolherem com tanto amor, por me ensinar, dar um sentido e razão de viver e anunciar. Além de entender que: “Dentro de trinta anos compreendereis a importância de quanto eu disse nessa noite. Dentro de trinta anos”. Tudo fez sentido!

Débora Brito.

CP-ADM núcleo de Brasília

PDDM: 65 ANOS DE BRASIL

Pias Discípulas do Divino Mestre: 56 anos de presença no Brasil

A fundação das Pias Discípulas deu-se no dia 26 de julho de 1956, com a chegada ao Brasil de um grupo de seis Pias Discípulas. Pe. João Roata, ssp, Mestre Dolores, fsp, e outras Paulinas receberam as Irmãs fundadoras, que logo iniciaram a vida e missão no Brasil com a adoração eucarística e o serviço sacerdotal no Seminário da Pia Sociedade de São Paulo.

Ir. Paulina de Luca

As irmãs que chegaram neste dia 26 de julho se juntaram a Ir. Paulina de Lucca, que havia vindo ao Brasil no dia 1º de fevereiro de 1956. Ela havia nascido em São Carlos do Pinhal, SP. Poucos meses depois de seu nascimento, seus pais, migrantes, retornaram para a Itália. Lá Ir. Paulina de Lucca cresceu, estudou e provavelmente terá se sentido bem mais italiana que brasileira. Aos 18 anos, ingressou na Congregação. Sua família retornou ao Brasil. Havia 30 anos que não via seus pais. Assim, vir antes foi uma preparação importante para a chegada das primeiras em terras brasileiras, mas foi uma possibilidade dela rever os pais.

Apesar de nunca ter expressado o desejo de rever os pais, o Fundador, Bem-Aventurado Tiago Alberione a enviou primeiramente a revê-los. A saúde deles já estava debilitada e isto foi importante.

Ir. M. Salvatoris Lucia Rosa, Ir. M. Modesta Santina Grotto, Ir. M. Giancarla Catarina Barale, Ir. M. Pasquina Romano, Ir. M. Fabiana Giuseppa Lucido, Ir. M. Paolina Margharita De Lucca e Ir. M. Venerina Vaccarisi, saíram no dia 09 de julho de 1956, do Porto de Gênova, no navio “Conte Grande” para o porto de Santos/SP. No dia 26 de julho de 1956, as Pias Discípulas foram acolhidas com prolongado toque de sino, na casa das Filhas de São Paulo. Depois passaram a morar no Seminário Paulino.

Irmãs no porto de Gênova: Tecla Molino, Fabiana, Salvatoris, Madre Lucia, Pasquina, Giancarla, Modesta e Venerina.

Ir. Marilez Furlanettto, atual provincial PDDM no Brasil, assim se expressa: “A elas e a todas as que nos antecederam, nosso reconhecimento e estima, porque souberam acolher e fazer frutificar as graças e bênçãos que o Senhor derramou em cada uma das pequenas ou grandes ações realizadas com amor e por amor a Deus que é fiel em suas promessas”.

De fato, celebrar 65 anos nos enche de gratidão por este caminho de fé, doação e amor a Jesus Mestre Caminho, Verdade e Vida. Ainda, Ir. Marilez motiva:

O Senhor nos conduziu ao longo destes 65 anos, iluminando nossos passos e enviando pessoas generosas que muito contribuíram como amigos, benfeitores, colaboradores e cooperadores Amigos/as do Divino Mestre, para a expansão da Congregação no Brasil e desenvolvimento da Missão. Temos a certeza que Ele está conosco e quer continuar nos mostrando o caminho. Deixemo-nos guiar pela sabedoria divina e acolhamos os “sinais dos tempos,” que na atual situação nos desafiam a redesenhar nossas presenças e a entrar na dinâmica da solidariedade, como nos orienta o Papa Francisco na Carta Encíclica Fratelli tutti: A solidariedade manifesta-se concretamente no serviço, que pode assumir formas muito variadas de cuidar dos outros. O serviço é, «em grande parte, cuidar da fragilidade. Servir significa cuidar dos frágeis das nossas famílias, da nossa sociedade, do nosso povo». Nesta tarefa, cada um é capaz «de pôr de lado as suas exigências, expetativas, desejos de omnipotência, à vista concreta dos mais frágeis (…). O serviço fixa sempre o rosto do irmão, toca a sua carne, sente a sua proximidade e, em alguns casos, até “padece” com ela e procura a promoção do irmão. Por isso, o serviço nunca é ideológico, dado que não servimos ideias, mas pessoas». Peçamos que Jesus Mestre e Pastor continue chamando pessoas que desejam abraçar a causa do Reino de Deus. E assim podermos levar a Boa notícia do Evangelho para que todos tenham vida e vida em plenitude. Desejamos caminhar na comunhão e servir na alegria. 

Padre Tiago Alberione escreveu às Irmãs enviadas em Missão: “Páscoa de 1956. Felicitações e orações. Peço a Deus que a solenidade destes dias proporcione aumento de graças, luzes, merecimentos e alegrias. Abençoo cada um dos vossos nomes. O Divino Mestre vos dará outra casa, se fordes fiéis. Rezo pelas vocações; mas muito cuidado na escolha das mesmas. Amor a Jesus Hóstia!”.

Nossas Irmãs foram memória viva dessa herança carismática. O Divino Mestre tornou-as fiéis, fecundas na fé e na esperança, e os frutos foram abundantes. Gratidão eterna a Deus por sua bondade e às Irmãs pela generosa doação no grande desafio dos inícios de chegada na Terra de Santa Cruz.

Pias Discípulas: contexto sociocultural e eclesial na chegada, em 1956

Como as demais congregações paulinas vindas para o Brasil, as Pias Discípulas se instalaram em São Paulo, na capital. A população era predominantemente italiana, portuguesa e japonesa. Na época, o fenômeno da urbanização marcava a cidade de São Paulo, que buscava responder aos imensos desafios urbanos e das culturas emergentes. Dominava a migração nordestina.

No quarto centenário (1954) da cidade de São Paulo, o Estado de São Paulo possuía catorze Dioceses e a população da Arquidiocese ultrapassava três milhos de habitantes – o que a colocava como a maior do Brasil e da América do Sul. Em 1955, deu-se a fundação da CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, por iniciativa de Dom Hélder Câmara.

A Igreja recebeu forte impulso do CELAM (Conselho Episcopal Latino Americano), cuja fundação deu-se também em 1955.

Deste contexto emergem:

  • Redescoberta da dimensão social da fé, ensaio da nova presença da Igreja na sociedade.
  • Experiência de fé no contexto do compromisso laical, Ação Católica e Movimentos: ACO (Ação Católica Operária); JOC (Juventude Operária Católica) – JUC (Juventude Universitária Católica).
  • Emergência das classes populares: plano de pastoral de conjunto com forte sentido de participação, planejamento e descentralização do poder.

As Pias Discípulas foram acolhidas oficialmente pelo Cardeal Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta, na pessoa de Dom Paulo Rolin Loureiro, bispo auxiliar e vigário geral do Arcebispado.

ADRIANA ESCANDIAN: FAMÍLIA AMIGA DO DIVINO MESTRE

Adriana, Mauro e Ana Clara: família Amiga do Divino Mestre conta sua história neste importante movimento dos leigos e leigas no carisma das Pias Discípulas do Divino Mestre.

Conheci a Congregação das Irmãs Pias Discípulas do Divino Mestre em 2011 quando as irmãs Terezinha Lubiana e Veronice Fernandes foram fazer trabalho missionário na minha paróquia, Santíssima Trindade, em Linhares – ES.

Participei dos encontros de liturgia e demais atividades por elas propostos, mas sem muito contato. Logo em seguida fui para São Paulo – SP para fazer um tratamento de saúde e lá eu e meu esposo Mauro as conhecemos mais de perto e nos encantamos com a missão da congregação.

Em 2013 fomos convidados para fazer parte dos Amigos e Amigas do Divino Mestre – ADM e conhecemos outras pessoas, amigos e amigas, que também amam a missão das Pias Discípulas. Lá estudamos sobre a vida e missão de São Paulo Apóstolo, a fundação da Família Paulina por intermédio e inspiração do Bem-Aventurado Tiago Alberione, a vida e testemunho da Madre Escolástica, a fundação dos Cooperadores Paulinos e consequentemente dos Amigos do Divino Mestre.

Participamos de todos os encontros nacionais realizados (2013, 2014, 2016 e 2018) e nos mantemos conectados diariamente pelo grupo de WhatsApp onde recebemos o Evangelho do dia e notícias dos grupos de ADM distribuídos pelo nosso Brasil a fora.

Através dessas conversas diárias mantemo-nos ligados as Irmãs e aos Amigos uma vez que não existe em nossa cidade e estado nenhuma comunidade de irmãs Discípulas. Cada encontro (presencial ou on-line), cada boletim enviado, cada conversa no grupo de WhatsApp é um momento de espiritualidade e fortalecimento de minha fé. Ver tantas vidas se doando de várias formas à evangelização e por amor a JESUS MESTRE, CAMINHO, VERDADE E VIDA me faz querer divulgar esta missão tão linda das Pias Discípulas. Somos gratos à Deus pelo dom da vida e missão de cada irmã Pia Discípula do Divino Mestre, de cada amigo e amiga do Divino Mestre pelo acolhimento, testemunho e esperança semeada a cada manhã.

Cada encontro nacional é uma festa da evangelização onde encontramos culturas diferentes do Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste do nosso país. Eu e minha família rogamos diariamente à Deus para que envie numerosas e santas vocações sacerdotais, leigas, missionárias e consagradas para a nossa Igreja e para o mundo, em especial para a Congregação das Irmãs Pias Discípulas do Divino Mestre.

Que Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos interceda à Deus por cada um de nós. Que São Paulo Apóstolo, Bem-aventurado Tiago Alberione e Madre Escolástica nos ajude na nossa caminhada.

Foto: Adriana, seu esposo Mauro e a filha do casal, a linda e querida Ana Clara.

Adriana Escandian

Linhares – Espírito Santo – julho 2021

Leia mais sobre a vida dos Amigos e Amigas do Divino Mestre:

Encontre os Amigos e Amigas do Divino Mestre pelas Redes Sociais:

Amigos do Divino Mestre: como conhecemos as Pias Discípulas do Divino Mestre?

Breve testemunho histórico do casal FRANCISCO e ANTÔNIA, Amigos do Divino Mestre do Núcleo de Brasília/DF

            O que nos oportunizou conhecer as Irmãs foi a divulgação de um curso de formação em canto litúrgico no folheto Povo de Deus da Arquidiocese de Brasília. Através do telefone, entramos em contato com a Irmã Neusa Maria Bresiani e fomos até à casa delas em Taguatinga, cidade satélite de Brasília. Fizemos a inscrição e participamos do curso que foi muito proveitoso.

A partir desse encontro, passamos a ter contato com frequência, pois a Congregação passou a organizar mais cursos de formação litúrgica a realizar-se na UCB (Universidade Católica de Brasília), que tem seu campo em Taguatinga. Nesses encontros, passamos a conhecer as demais Irmãs: Venerina Vaccarisi, Ozília Ardisson e Leni Rossi, sendo a Irmã Neusa a coordenadora da casa. Esses encontros de formação litúrgica tiveram início por volta do ano 2002.

            No ano de 2013, com a chegada da Irmã Analice Lúcia Balestrin, teve início a organização do Grupo Amigos do Divino Mestre de Brasília. O grupo prosseguiu caminhando no discipulado do Apóstolo Paulo, dentro da espiritualidade do Bem-Aventurado Pe. Tiago Alberione. Passamos a ter encontro de formação em São Paulo a cada 2 anos. Nessa perspectiva, fomos orientados pela Congregação a fazermos parte dos Cooperadores Paulinos e particularmente recebemos um convite mais que especial feito pela Irmã Venerina, pois, segundo ela, via em nós um casal vocacionado para o serviço à Igreja. Aceitamos o convite, com muita preocupação, pois o compromisso é muito sério e requer muita responsabilidade. Enfim, estamos nesse caminho de Jesus Mestre na conversão de cada dia.

            Em 2018, celebramos o centenário dos Cooperados Paulinos. Evento esse que nos proporcionou a possibilidade de conhecermos a cidade de Alba, terra natal do nosso fundador enquanto membros da Família Paulina. Tivemos a oportunidade de conhecer e saber tudo sobre a vida de Tiago Alberione e as congregações por ele criadas. Encerramos todos os eventos no encontro com o Papa Francisco na Praça São Pedro.

            Concluímos afirmando que nessa caminhada com as Irmãs Pias Discípulas nossa formação foi muita enriquecida no tocante aos carismas: sacerdócio, Eucaristia e liturgia.

            Fizemos as promessas na festa do Divino Mestre de 2018 na Paróquia Santa Edwiges, na Asa Sul. Presidiu a celebração Monsenhor Jamil Alves de Souza, padre da Arquidiocese de Brasília.

<a href="https://piasdiscipulas.org.br/amigos-do-divino-mestre/">
  <https://piasdiscipulas.org.br/wp-content/uploads/2021/05/ADM-1-1024x360.png" alt="https://piasdiscipulas.org.br/wp-content/uploads/2021/05/ADM-1-1024x360.png">
</a>

Conheça os nosso sites:

Conheça mais sobre os Amigos do Divino Mestre:

Conheça os Amigos e Amigas do Divino Mestre

Amigos do Divino Mestre emitem votos na Festa de Jesus Mestre, 2019

Com a liturgia do 29º Domingo do Tempo Comum, reunimo-nos, no sábado,26 de outubro, para celebrar nosso Divino Mestre, na alegria de irmãos e irmãs da Família Paulina, Irmãs e jovens das Pias Discípulas do Divino Mestre, das várias comunidades de São Paulo e Cabreúva, amigos e vizinhos.

Na motivação inicial fomos convocadas, também a fazermos comunhão com a Assembleia Sinodal, na esperança que se abram efetivamente, novos caminhos para a Amazônia.Esta celebração se revestiu de gratidão, porque: Bernadete Aparecida Cardoso Cobra, Elizabete Lima Cará de Oliveira, Laura Chamba dos Santos e Maria Inês Sepliano Pincinato,assumiram a Promessa na Associação dos Cooperadores Paulinos Amigos e Amigas do Divino Mestre (Núcleo de São Paulo). Nossacomunhão se estendeu, também, com os Amigos do Divino Mestre: Josiane Galvan Sartor, Romeu João Sartor (Núcleo de Caxias do Sul) e Renilda Felizola da Gama, Shirley Paulo Cruz, Sueli Silva de Moraes e Rosenira Gomes Pinheiro e Maurícia Dias dos Santos (Núcleo de Manaus).

Soou fortemente aos nossos ouvidos e ao coração a súplica proclamada na oração inicial: “Ó Deus fonte de todo bem,na plenitude dos tempos falastes à humanidade na pessoa do vosso amado Filho, Jesus Cristo, que passou entre nós fazendo o bem. Concedei-nos reconhecê-lo como nosso Mestre e Senhor, Caminho, Verdade e Vida, e corresponder ao seu amor por uma vida segundo o Evangelho”.

Nossa solenidade celebrada liturgicamente, continuo na partilha fraterna saboroso jantar com todos os presentes.

Seja louvado Jesus Mestre por nos fazer suas discípulas e seguidoras.

Leia a Circular da Madre Provincial, Ir. Marilez Furlanetto para este momento importante na história dos Cooperadores Paulinos, Amigos do Divino Mestre:

Circular 3 – 2019

Queridas Irmãs e Jovens,
Queridos Amigos e Amigas do Divino Mestre

Celebrando a festa de Cristo Mestre e Pastor na Família Paulina, recordamos os ensinamentos do padre Tiago Alberione: “Tudo está aqui: viver Jesus Cristo Caminho, Verdade e Vida; e fazer a caridade de Cristo para aquelas populações que estão privadas dela e sentem por ela fome intensa, dando de fato o Cristo total, Caminho, Verdade e Vida. De tal forma que possamos dizer: Não temos ouro e nem prata; porém vos damos aquilo que temos: Jesus Cristo, a sua doutrina, a sua moral, os meios de graça e de vida sobrenatural” (CISP 862). “Apostolado é dar à humanidade a salvação: Jesus Cristo Caminho, Verdade e Vida” (CISP 165).
Rezamos e trabalhamos para que a humanidade acolha, escute e ame Jesus Mestre e Salvador. Que o Divino Mestre nos conduza sempre na missão que nos confiou e nos fortaleça na fidelidade à vocação que nos chamou.
Continuamos expressar nossa gratidão a Deus, que na sua bondade chama para a Associação Cooperadores Paulinos Amigos/as do Divino Mestre:

1- Josiane Galvan Sartor (Caxias do Sul-RS)
2- Romeu João Sartor (Caxias do Sul-RS)
3- Bernadete Aparecida Cardoso Cobra (Cabreúva-SP)
4- Elizabete Lima Cará de Oliveira (Cabreúva-SP)
5- Laura Chamba dos Santos (Cabreúva-SP)
6- Maria Inês Sepliano Pincinato (Cabreúva-SP)
7- Maurícia Dias dos Santos (Manaus-AM)
8- Renilda Felizola da Gama (Manaus-AM
9- Shirley Paulo Cruz (Manaus-AM)
10- Sueli Silva de Moraes (Manaus-AM)
11- Rosenira Gomes Pinheiro (Manaus-AM)

Acolhemos com carinho, os novos membros que hoje, na fé, professam o seguimento de Jesus Cristo, na Congregação das Pias Discípulas do Divino Mestre. Igualmente acolhemos e convidamos aos que estão fazendo aniversário (um ano), a renovar as promessas e reavivar o dom de Deus. Os Cooperadores Paulinos Amigos e Amigas do Divino Mestre, participando da nossa Espiritualidade e Missão, se unem à vasta Família Paulina, para ser na Igreja Discípulos- Missionários: batizados e enviados para a edificação do Reino de Deus no mundo.

Que o Senhor nos conceda a graça de crescer na comunhão e de perseverar na alegria da vocação.

Ir. Marilez Furlanetto e Conselheiras

São Paulo, 26 de outubro de 2019

Junho é marcado pelas formações nas Pias Discípulas

 

ENCONTRO DAS CENTRISTAS DO APOSTOLADO LITÚRGICO E COORDENADORAS DE SETORES  APOSTÓLICOS

De 21 a 22 de junho, as irmãs Pias Discípulas responsáveis pela gerência das lojas Apostolado Litúrgico e as irmãs responsáveis dos Setores Apostólicos se reuniram para avaliar o caminho feito e, juntas, buscarem soluções para o trabalho. 

Elas contaram com o auxílio do professor Hilário que já acompanha as irmãs há algum tempo. Além dele, o SENAC prestou uma assessoria técnica, com propostas importantes para a qualificação do trabalho ofertado pelas Irmãs.

 

24ª SEMANA DE FORMAÇÃO INTENSIVA DAS IRMÃS PIAS DISCÍPULAS

Em continuação a este encontro, no Domingo, dia 23 de junho, iniciou-se a 24ª Semana de Formação Intensiva. Este momento formativo reúne todas as irmãs da província Brasil em torno de um assunto. As irmãs são divididas em dois grupos. O segundo grupo realizará o encontro no próximo mês, julho.

Nesta semana, o assunto é em torno da Iniciação Cristã. O pe. Domingos Ormonde, escritor da Revista de Liturgia e membro do clero de Duque de Caxias e São João de Meriti, no estado do Rio de Janeiro, é o facilitador do estudo. Pe. Domingos é um grande pesquisador sobre o RICA. Escreveu durante os anos de 2001 a 2010  sobre este assunto na Revista de Liturgia. Ele colabora com a formação em várias regiões do Brasil. 

No momento que toda a Igreja retoma com insistência este tema, como proposta de formação dos discípulos e missionários para uma Igreja em saída, retomar a iniciação cristã e os ritos propostos numa perspectiva da liturgia-catequese é apurar nossos sentido para uma Igreja mais aberta e acolhedora na caminhada de fé.  

O conjunto de ritos propostos para o catecúmeno e catequisando é uma proposta pedagógica de tomada de consciência da pessoa que se aproxima e pede pelos sacramentos. Todo o caminho não visa exclusivamente os sacramentos, mas a formação integral de discípulos, homens e mulheres comprometidos com a Igreja e os apelos da atual sociedade . Os sacramentos são este grande sinal deste caminho responsável e assimilado na vida de adolescentes, jovens e adultos. 

Além desta bonita caminhada, esta edição da Semana de Formação foi marcada pelo início da caminhada formativa com os Amigos do Divino Mestre inseridos, juntos com as irmãs. Nesta primeira semana, participaram o casal Ivete e Toninho, ambos de São Paulo. Para o segundo encontro, está prevista a participação de outros Amigos do Divino Mestre, vindo de outros estados brasileiros.

O encontro termina nesta próxima sexta-feira, dia 28 de junho.

Estola Presbiteral Ravena Bordado Sagrado Coração

Casula Shantung Sagrado Coração Creme

 

Casula Ravena Sagrado Coração Pérola

Festa de Jesus Mestre e votos dos Amigos do Divino Mestre


Warning: array_key_exists() expects parameter 2 to be array, null given in /home1/piasdiscipulas/public_html/wp-content/plugins/simple-post-gallery/app/Controllers/VideoController.php on line 368

Warning: array_key_exists() expects parameter 2 to be array, null given in /home1/piasdiscipulas/public_html/wp-content/plugins/simple-post-gallery/app/Controllers/VideoController.php on line 368

Warning: array_key_exists() expects parameter 2 to be array, null given in /home1/piasdiscipulas/public_html/wp-content/plugins/simple-post-gallery/app/Controllers/VideoController.php on line 368

Warning: array_key_exists() expects parameter 2 to be array, null given in /home1/piasdiscipulas/public_html/wp-content/plugins/simple-post-gallery/app/Controllers/VideoController.php on line 368

A festa de Jesus Mestre no último Domingo de outubro de 2018 foi um marco na história das Pias Discípulas do Divino Mestre no Brasil. Além de reunir a Família Paulina que celebra o centro e fundamento da espiritualidade paulina dada pelo fundador, Pe. Tiago Alberione, os primeiros cooperadores paulinos das Pias Discípulas fizeram os seus primeiros votos.

Os Amigos do Divino Mestre é o nome dado para os Cooperadores Paulinos ligados às Pias Discípulas. São leigos e leigas que colaboram e assumem em viver, de acordo com seu estado de vida, os valores e espiritualidade da instituição que estão ligados, no caso, as Pias Discípulas. Amigos do Divino Mestre que moram em Manaus, Rio de Janeiro, São Paulo, Recife assumiram com os votos de viverem a espiritualidade paulina e cooperarem na missão de viver e anunciar Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, com o carisma específico das Pias Discípulas.

Bendizemos a Deus que continua a chamar pessoas para manter vivo o carisma paulino.

Ser Amiga/Amigo do Divino Mestre

Desde o início da fundação no Brasil (26 de julho de 1956), as Pias Discípulas foram ao encontro de pessoas participantes da vida eclesial. Conforme o costume trazido da Itália, algumas delas se destacavam como “benfeitoras” e se tornavam madrinhas e padrinhos das jovens que o “Senhor da Messe chamava para segui-Lo”.

A cada “benfeitor” era entregue o folheto explicativo da missão da Congregação, com destaque ao ministério da “adoração ao Santíssimo”. Os “benfeitores” participavam das festas por ocasião da celebração da Profissão Religiosa. Com o lançamento da “Revista de Liturgia” (ano de 1973), vários destes “benfeitores” se tornaram assinantes e, entre eles, alguns se destacaram como promotores nas comunidades paroquiais, por entenderem que a proposta da Revista era um serviço para formação litúrgica do povo de Deus.

Entre os anos de 1996 a 2002, circulou o Boletim informativo intitulado “Amigos do Divino Mestre” direcionado aos cooperadores da missão e, também, aos familiares das Irmãs e jovens. O Boletim foi republicado, no ano de 2014, como subsídio de acompanhamento à Associação Cooperadores Paulinos – Amigos do Divino Mestre (CP-ADM), anteriormente existente  e os novos participantes.

A partir do ano 2013, a Província, colocando em prática a Linha Operativa do 8º Capítulo Geral das Pias Discípulas , criou uma Comissão  para retomar o Estatuto da Associação e elaborar um projeto de constituição de grupos de CP-ADM e formação de seus membros em vista da missão .

Em novembro deste mesmo ano, foi realizado o primeiro encontro. Estando presentes vinte e dois leigos e leigas, provindos dos estados do AM, DF, ES, MG, RJ, RS e SP. Após tomar conhecimento da missão do Cooperador Paulino Amigo do Divino Mestre; e da espiritualidade, vida e missão da Pia Discípula do Divino Mestre, os participantes aceitaram continuar o caminho formativo.

A partir deste encontro foram criados Núcleos acompanhados por uma ou duas irmãs. Hoje , estes Núcleos estão presentes nas localidades onde há Comunidade das Pias Discípulas do Divino Mestre.  No entanto, existem também outros Núcleos e membros onde as Irmãs marcam presença temporária em consequência da missão .

A Província assumiu um caminho de formação para os CP-ADM, realizando encontro bienal em nível nacional e encontros periódicos nos Núcleos. O conteúdo formativo é realizado conforme o pensamento do Fundador e de seus colaboradores (especialmente a Venerável Madre Escolástica e o Bem-Aventurado Timóteo Giaccardo), e as exigências da Igreja, na visão de conjunto da Família Paulina, com ênfase no carisma específico das Irmãs Pias Discípulas do Divino Mestre.

Atualmente, em vista do Centenário da Associação dos Cooperadores Paulinos contamos com a graça divina para levar adiante esta obra do Bem aventurado pe. Tiago Alberione, Fundador da “admirável Família Paulina”.

Estamos abertas para acolher mais pessoas que sentem no coração o desejo de seguir o projeto de Jesus Cristo, colocar seus dons a serviço e se integrar em um grupo de cooperadores. Visite nossa página no Facebook e entre em contato com o núcleo mais próximo ou pelo e-mail amigosdodivinomestre@piasdiscipulas.ogr.br